Além do Gênero

Charge.

Por uma vida sem violência.

“SPM e Fórum Feminista de Enfrentamento à Violência contra as Mulheres lançam DVD “Por uma vida sem violência”.
25/03/2008 – 11:25

O DVD é sobre o ato show realizado no Canecão (RJ), em 2007, no âmbito da Campanha 16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência contra as Mulheres

“Por uma vida sem violência – ao vivo” é o nome do DVD que a Secretaria Especial de Políticas para as Mulheres da Presidência da República (SPM/PR) e o Fórum Feminista de Enfrentamento à Violência contra as Mulheres/ SP lançam, nesta quarta-feira (26/3), às 17h, em São Paulo, no auditório Prof. Dr. João Yunes, da Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo (USP).

O DVD é sobre o ato show realizado no Canecão (RJ), no dia 26 de novembro de 2007, no âmbito da Campanha 16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência contra as Mulheres que teve como tema central a comemoração do primeiro ano de vigência da Lei Maria da Penha.

Nesse show, cantoras, atrizes e atores, emprestaram, generosamente, seu talento para protestar contra a violência doméstica e familiar vivenciada até hoje por milhares de mulheres brasileiras. Importantes participações como o de Alcione, Elba Ramalho, Elisa Lucinda, Lenine, Margareth Menezes, Renata Sorrah, entre outras, deram o tom do evento, promovido pela SPM, Ministério da Cultura, Secretaria de Ação Social e Direitos Humanos do Estado do Rio de Janeiro, Petrobras, Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento da Mulher (UNIFEM) e Agende – ações em Gênero, Cidadania e Desenvolvimento.

No lançamento de amanhã estão confirmadas as presenças da ministra da SPM, Nilcéa Freire, da vice-diretora do UNIFEM, Junia Puglia, da coordenadora da Campanha dos 16 Dias, Marlene Libardoni, além de representantes dos governos do Estado de São Paulo e de prefeituras, de conselhos municipais da mulher e do Estado de São Paulo; das coordenadorias municipais de mulheres; do Ministério Público Estadual; da Defensoria Pública; das universidades, dos movimentos de mulheres e feministas; de direitos humanos e do movimento negro.

No lançamento será apresentada a versão compacta do DVD, com duração de 10 minutos. A versão integral tem a duração de 2 horas e 15 minutos e foi produzida com o patrocínio da Petrobras. Posteriormente ao lançamento, o DVD será distribuído às organizações parceiras no enfrentamento à violência contra as mulheres e aos organismos governamentais estaduais e municipais de políticas para as mulheres.”

Fonte: Presidencia.gov.br

Mulher no mercado de trabalho.

Mulher de Hoje: a luta por um lugar no mercado de trabalho.

Quarta-feira, 12/03/2008
Se trabalhassem só em casa, 65% das mulheres brasileiras não se sentiriam realizadas. Uma gerente de marketing conta que a carreira é sua prioridade em detrimento da família.

Violência doméstica.

domestic_violence.gif

Violência contra à mulher.

Mulheres, JAMAIS aceitem esse tipo de situação, não se submetam a isso, ninguém PRECISA de um companheiro que a faça sofrer, que diz espancar por “amor”, por “amar demais”, por… Tantos “por”… NADA justifica. Não perdoem ou acreditem em frases como “foi só uma vez”, “não vai mais acontecer”, “não sei onde eu estava com a cabeça”, “eu te amo”.. Quem ama cuida, dá beijo, abraço, flores e não pancada, chute, sufoca, ameaça, xinga.. Mostre que você também gosta de respeito e tenha CORAGEM! Coragem pra fazer o certo. Coragem pra dizer basta. Coragem pra ser feliz.

DENUNCIE: Disque 180!

A Central de Atendimento à Mulher – Ligue 180 – funciona 24 horas por dia, de segunda à domingo, inclusive feriados. A ligação é gratuita e o atendimento é de âmbito nacional.

Encontre aqui uma relação de serviços de atendimento específicos para a Mulher em seu estado. São serviços prestados pelo governo federal, pelos governos estaduais e municipais, além de diversas outras instituições da sociedade civil.

Como já dizia Gabriel “O Pensador”: “Não adianta olhar pro céu com muita fé e pouca luta/Levanta aí que você tem muito protesto pra fazer e muita greve/Você pode e você deve, pode crer/Não adianta olhar pro chão, virar a cara pra não ver/Se liga aí que te botaram numa cruz e só porque Jesus sofreu/Não quer dizer que você tenha que sofrer.

Até quando você vai ficar usando rédea/Rindo da própria tragédia?/Até quando você vai levar cascudo mudo?/Muda, muda essa postura/Até quando você vai ficando mudo?/Muda que o medo é um modo de fazer censura.

Até quando você vai levando porrada, porrada?/Até quando vai ficar sem fazer nada?/Até quando vai ser saco de pancada?.

Muda, que quando a gente muda o mundo muda com a gente/A gente muda o mundo na mudança da mente/E quando a mente muda a gente anda pra frente/E quando a gente manda ninguém manda na gente/Na mudança de atitude não há mal que não se mude nem doença sem cura/Na mudança de postura a gente fica mais seguro/Na mudança do presente a gente molda o futuro”

Lei sobre o aborto na maioria dos países.

 mapa_abortojpg.gif
tabela_aborto.gif

Brasileiro preso no Japão mantinha corpo de mulher em congelador.

“Brasileiro preso no Japão mantinha corpo de mulher em congelador. (hein?!?!?!)

TÓQUIO (AFP) — A polícia japonesa prendeu um cidadão brasileiro depois de encontrar o corpo de uma mulher no congelador de seu apartamento, informa a imprensa local.

Giovani Mikio Claudino, de 35 anos, foi detido na quinta-feira à noite na cidade de Numazu (centro do Japão), acusado de ter abandonado um cadáver, segundo a agência Jiji Press.

A polícia investiga agora se o brasileiro matou a mulher, que tem idade por volta dos 40 anos e era uma conhecida de Claudino.

Os policiais entraram no apartamento depois que vários vizinhos afirmaram que uma mulher, que não é japonesa, que visitava Giovani, não era vista desde o fim de fevereiro, depois que os moradores próximos ouviram gritos procedentes do apartamento.

Giovani chegou ao Japão há 15 anos e morava sozinho desde que sua família retornou ao Brasil. Aparentemente estava desempregado.

Segundo alguns meios de comunicação, a polícia também prendeu outro brasileiro, que havia trabalhado com Giovani, suspeito de ter levado o carro da vítima para um desmanche para destruir as provas.

A polícia de Numazu se recusou a fazer comentários sobre o caso.”

Tsc, tsc..

Fonte: afp.google.com

Aborto.

maesolteira0.gif

Na parte superior da figura, do que a sociedade chama de mãe solteira que aborta. Na parte inferior, do que a sociedade chama a mãe solteira q não teve um aborto.

Mulheres já são mais de 50% dos novos empreendedores.

 19/03/2008 – 14:41 h

“Mulheres já são mais de 50% dos novos empreendedores.

As mulheres estão conquistando espaço no universo empresarial do País. Pela primeira vez desde 2001, o porcentual de mulheres que abriram a sua própria empresa passou o dos homens – em 2007, as brasileiras representavam 52% dos empreendedores adultos (18 a 64 anos) no Brasil. Há sete anos, os homens respondiam por 71% das atividades empresariais, contra apenas 29% das mulheres, segundo estudo Global Entrepreneurship Monitor (GEM).

O levantamento, divulgado hoje pelo Sebrae Nacional e pelo Instituto Brasileiro da Qualidade e Produtividade (IBQP), mostrou também que, embora a taxa de empreendedorismo feminino esteja crescendo, a necessidade ainda é fator marcante de motivação para a mulher iniciar um empreendimento. Enquanto 38% dos homens empreendem por necessidade, essa proporção aumenta para 63% para as mulheres.

Para o diretor-técnico do Sebrae Nacional, Luiz Carlos Barboza, as mulheres têm conquistado espaço não só no mundo dos negócios, como também em todos os campos da atividade humana. “Também poderemos assistir nos próximos anos uma diminuição do empreendedorismo por necessidade entre as mulheres, principalmente porque elas têm mais escolaridade e, assim, podem se preparar mais antes de abrir uma empresa”, afirmou.

Comércio

O comércio varejista foi o setor que mais concentrou atividades femininas no ano passado, 37%, com destaque para artigos de vestuário e complementos. A presença da mulher também é maior na indústria de transformação (27%), principalmente nas confecções, fabricação de produtos alimentícios, fabricação de malas, bolsas, e na atividade de alojamento e alimentação (14%).

O estudo revelou que em 2007 a mulher superou a participação do homem nos empreendimentos de estágio nascente (53%) e nos empreendimentos novos (52%), porém, é minoria nos empreendimentos estabelecidos (38% contra 62%). Segundo a pesquisa, esses últimos resultados mostram que a “entrada mais recente da mulher na atividade empreendedora pode ser uma barreira para transformar seu empreendimento em uma atividade consolidada no mercado”.”

Fonte: atarde.com.br

Publicidade.

imagem7.jpg

Até parece que é assim..
Publicidade machista.. Eco!